Angelo Felgueiras - escalar por uma causa

Menu Principal
INÍCIO
CAUSA SOCIAL
7 CUMES
MULTIMEDIA
IMPRENSA
CONTACTOS
GUESTBOOK
Advertisement


Designed by:
Website hosting Joomla Templates
Web hosting services

Cume do Cho Oyu - 24 de Outubro de 2009 

 
Imagem Activa

 "Na madrugada do dia 24 saí para tentar o cume. Foi uma subida que sem ser muito complicada tem algumas zonas de escalada. É um misto de rocha e neve/gelo, conhecida pela banda amarela. Tudo o que é simples ao nivel do mar, assume uma dificuldade acrescida a 8000m.

A banda amarela é um "single track", e no dia em que eu tentei o cume, tentaram também os primeiros "comerciais" 90% dos quais com oxigénio. Fui obrigado a uns compassos de espera o que arrefece bastante. Estava muito frio.

Imagem Activa

A subida é quase toda à sombra, mesmo quando começa a clarear. Passada  a banda amarela, começa uma longa subida até ao planalto do cume. Os últimos 100, 150m de desnível são interminaveis. Uma muito suave, mas longa subida. Mais de uma hora para fazer estes 100m.

De repente, á minha direita estava o cume. Umas bandeiras de oração e umas garrafas de oxigénio marcam o local, para os dias de nevoeiro, em que não se consegue ver o Evereste. A vista do Evereste é a principal caractrística do cume. 15 minutos de descanso, fotografias e filme, hidratar e comer uma barra.

 Imagem Activa

Toca a descer que estou cansado. A gravidade, é uma força que quando controlada, é amiga. Iniciei a subida 01:00 local, e demorei 08:30 a subir. A descer demorei 03:10. À chegada, uns 100m acima do campo 3, fiquei parado uns 20min. Conseguia ver o campo 3, 2, 1 e o campo base. Estava sozinho e bastante emocionado.

Imagem Activa 

Nesse dia ainda desci até ao campo 2, onde se recupera melhor. Relativamente ao cume, ainda são 1000m de diferença. No dia 25 desmontei o campo 2 e desci até ao campo 1. No campo 1 aceitei os serviços dos tibetanos que me ajudaram a descer a carga até ao campo base. Com a desistência de um dos elementos da expedição, a carga que devia ser dividida por três, sobrava para dois. Os carregadores locais evitaram uma nova subida ao campo 1, o que depois do cume, confesso que não era o que mais me apetecia.

Imagem Activa 

Imagem ActivaChegado ao campo base, fui efusivamente recebido pelos companheiros espanhois e pelo italiano. Foram uma companhia fantástica. Todos muito experientes, trataram-me sempre como um par. Aprendi muito sobre montanha e expedições. 4 dias de espera pelos yakes no campo base, foram um exercício de desgaste e paciência.

Imagem Activa

Finalmente um regresso a Kathmandu, onde já dá para iniciar a "re-hidratação" com bebidas desinfectantes. Como balanço, excepto a saída prematura do meu companheiro português, que muito lamentei, tudo o que podia correr bem, correu, e nada do que podia correr mal, aconteceu. A todos os que acompanharam esta aventura, o meu obrigado pelas mensagens de apoio e incentivo.
 

Ângelo Felgueiras"

 

http://www.angelofelgueiras.com, Powered by Joomla! and designed by SiteGround web hosting